Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2014

50 Atividades para crianças de 2 a 4 anos

Recortar e colar (papel colorido picado, tecidos diferentes, folhas, grãos, contas);Jogos de memória. Existem uns quebra cabeças pequenos, de animais que são apropriados para a idade;Rasgar papéis com as mãos;Aprender a usar a tesoura;Amassar os papéis picados (mais apropriado para os mais novos);Confecção de colares (os maiores vão gostar) com miçangas grandes;Pintura a dedo, esponja ou com pincel;Massinhas de modelar;Argila;Brincar de criar, faz de conta;Traçar linhas, perfurar, colocar cadarço no tênis e costurar;Imitar: rir, chorar, dar gargalhadas, fazer caretas, piscar. Ensina sentimentos;Dançar;Correr;Pular;Ficar num pé só (alguns segundos);Reconhecer e nomear partes do seu corpo e dos outros;Ter a possibilidade de tomar banho sozinho, nomeando as partes do corpo;Brincar com água, terra, argila, barro, areia;Aprender os sabores, doce, salgado, amargo, azedo;Aprender as temperaturas: frio, quente, gelado;Cantar e dançar cantigas de roda, canções folclóricas, aprender coreografia…

Brincadeiras para você fazer com seu filho de 2 anos

Você e seu filho de 2 anos vão poder se divertir bastante com as brincadeiras abaixo, que também ajudam a desenvolver as habilidades dele. Elas também são boas sugestões para vovós, titias e babás que estejam sem ideias para entreter os pequenininhos.

Uma observação: como a criança é muito pequena, você precisa ajustar suas expectativas. Tente não se irritar, decepcionar ou preocupar se seu filho não embarcar na brincadeira proposta. Siga os sinais que ele dá e adapte a atividade, ou então faça uma nova tentativa em algum outro momento.

Sugestões para crianças de 2 anos a 2 anos e meio Um para mim, outro para você Você pode usar praticamente qualquer coisa para fazer essa brincadeira: giz de cera, cereais em forma de argola, bloquinhos, peças de jogo. Dê uma pilha dos objetos para seu filho e peça a ele que os distribua: "Um para mim, um para você", colocando-os em dois pratos ou caixas.

Depois que ele já estiver craque, você pode acrescentar uma terceira pessoa (…

10 coisas que seu filho “normal” vai aprender da convivência com crianças especiais

Imagem
10 coisas que seu filho “normal” vai aprender da convivência com crianças especiais 1 Gostei dessa historinha acima porque ilustra bem o que eu considero inclusão bem feita: ela é boa para as duas partes. Uma coisa que temos que ter em mente é que ninguém nasce sabendo. Nós sabemos o quanto aprendemos com nossos filhos especiais porque os temos, mas eu mesma tenho que admitir que não sabia lhufas sobre isso antes do Theo. Eu era como todos os outros: achava que crianças com necessidades especiais eram só um “peso”. Pensando por esse lado, o melhor caminho para que outras crianças aceitem nossos filhos é mostrar esses benefícios aos pais delas. São eles que vão dizer a elas “não fique muito perto do fulaninho porque ele é estranho” ou “que legal esse seu amiguinho novo”! São esses pais que vão formar cidadãos que incluem e aceitam as diferenças ou pessoas preconceituosas. Então, resolvi listar, aqui, 10 benefícios que uma criança neurotípica vai ter por conviver com crianças espe…

Autismo: Copa, festividades e fogos artifícios

Imagem
Autismo: Copa, festividades e fogos artifícios 
Muitas crianças com TEA (Transtorno do Espectro do Autismo) têm dificuldade em regular a informação sensorial que lhes bombardeia diariamente. Elas podem ser excessivamente sensíveis ou sub-sensível a sons e podem ter dificuldade em interpretar informações sensoriais que seu cérebro recebe. Isso deixa muitos pais perdidos sobre o que fazer a respeito para ajudar seu filho a viver em um mundo barulhento, sem ansiedade e medo. Cada ser humano processa informações sensoriais de forma diferente - dessa forma não somos todos iguais. Mas quando a sensibilidade ao ruído torna-se um obstáculo ao funcionamento diário típico de uma pessoa, o desenvolvimento, a vida social e comportamento, ele é conhecido como um transtorno de processamento sensorial. Muitas crianças com autismo têm 'ouvidos' supersensível a ruídos e experiência reações intensificadas a pressões súbitas, estalos ou estouros, especialmente fogos de artifício. Com e…

Videogames são novo método para trabalhar com crianças autistas

Imagem
Ao finalizar o jogo na tela, Sawyer e Michael, de 10 anos de idade, se cumprimentam. O toque físico entre esses dois meninos autistas não era frequente até pouco tempo: foi um aprendizado adquirido através de um videogame Xbox equipado com o sensor de movimentos Kinect.
O aplicativo levou as crianças autistas a falarem e a dar instruções A escola Steuart W. Weller d’Ashburn, de Virgínia, a cerca de 50 quilômetro a noroeste de Washington, tem um dos centros especializados nos Estados Unidos em testar os consoles de videogames com autistas jovens. O Kinect, lançado pela Microsoft em 2010, permite jogar sem controles, utilizando seu próprio corpo graças a um detector de movimentos. O aparelho não foi projetado com fins terapêuticos, mas é, segundo especialistas, uma ferramenta interessante para ajudar jovens com transtornos do espectro autista, condição que segundo avaliações da Organização Mundial da Sáude (OMS) afeta 21 em cada 10mil crianças. Sawyer Whitely e Michael Mendo…

Robô criado na Ufes ajuda crianças com autismo a se comunicar

Imagem
Máquina utiliza imagens e sons para tentar gerar respostas emocionais.
'Interação pode gerar uma melhora na cognição', diz pesquisador.
Teodiano Freira ( camisa azul) criador do Robô e sua equipe de alunos, Christiane Goulart, Carlos Valadão, Joricr Castilho e Matte Tranciniot (Foto: Ricardo Medeiros/ A Gazeta)

Segundo o doutor de biotecnologia da Ufes e coordenador da pesquisa, Teodiano Freire Bastos Filho, o autista tem dificuldade de se relacionar com humanos, mas interagem bem com máquinas. "Sabe-se que as pessoas com autismo tem dificuldade de expressar emoções e interagir com pessoas, mas eles interagem com mais facilidade com máquinas. A interação com o robô pode gerar uma melhora na cognição que vai também ajudar na interação da criança autista com humanos", explica.
A servidora pública Eunice Maria Morelatto é voluntária da Associação Amigos dos Autistas e mãe de um autista. Para ela, poder decifrar as reações dos autistas seria um avanço muito impo…