Princípios da Integração Sensorial

A Integração Sensorial:
" É o processo neurológico que organiza as sensações do próprio corpo e do ambiente, possibilitando o uso deste corpo efetivamente no ambiente" (A. J. Ayres, 1989)

"Integração Sensorial é o processamento de informações ... o cérebro deve selecionar, destacar, inibir, comparar e associar a informação sensorial em padrões flexíveis em constante mudança: em outras palavras o cérebro deve integrá-las." (A. J. Ayres, 1988)



Princípios:
1. Os estímulos sensoriais controlados podem ser usados para PROVOCAR uma RESPOSTA ADAPTATIVA;
2. Uma RESPOSTA ADAPTATIVA contribui para o desenvolvimento da integração sensorial;
3. Quanto mais AUTO-DIRIGIDA as atividades, maior é o potencial das atividades para aprimorar a organização neural - MOTIVAÇÃO INTERNA.

Estímulo - Integração - Resposta na Criança em Desenvolvimento
Estimulação Sensorial:
VESTIBULAR (Gravidade e Movimento)
VISUAL
PALADAR-OLFATO
TATO (Toque)
PROPRIOCEPÇÃO (Músculos e articulações)

MOVIMENTO
COORDENAÇÃO
LINGUAGEM
IMAGEM CORPORAL
ESTABILIDADE
CONCENTRAÇÃO
ORGANIZAÇÃO
ATIVIDADE PROPOSITAL
CAPACIDADE PARA PENSAMENTO ABSTRATO E RACIOCÍNIO
APRENDIZAGEM ACADÊMICA 


Características da Intervenção
  • Ênfase NÃO cognitiva.
  • Sequência flexível.
  • GUIADO pelo terapeuta.
  • CENTRADO no paciente.
  • Exploração e Criatividade.
  • INTERAÇÃO DIÁTICA - um para um.
  • Terapia de Grupo: Máximo 3 crianças  - 1 para um. Ou seja, um terapeuta para cada criança.
  • Equipamento suspenso é obrigatório.

 A quem se destina a Integração Sensorial:
  • TDAH
  • Distúrbio de Aprendizagem
  • Síndromes Genéticas
  • RDNPM
  • Paralisia Cerebral
  • Deficiências Mentais
  • Autismo
  • Psiquiatria
  • Adultos com patologias que afetam as funções sensoriais.  

Onde Encontrar:

 

Fonte: Lígia Maria de Godoy Carvalho 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que é defensividade tátil?

Transtorno de modulação sensorial

Disgrafia