O que é a Integração Sensorial? (1ª parte)





 

O que é integração sensorial??

O que são sensações?
Fechem os olhos e sintam as sensações do ambiente que estamos.

Agora, o que seríamos sem os cheiros, as cores, as texturas, as formas, os sons do nosso cotidiano?

 


O nosso mundo é sensorial, e umas das demandas mais básicas de nossa existência é interpretar e responder a estímulos sensoriais.

 (Ayres, 1972)

 

 

Os estímulos podem ter diversas “intenções”:

·      Acalmar como uma música tranquila;

·      Alertar como barulho na noite;

·      Exigir resposta rápida como cheiro de fumaça;

·      Bem como alguns devem ser esquecidos como o ruído de ar condicionado.

 

Integração sensorial é essa habilidade para organizar os estímulos sensoriais, selecionar as informações importantes, que merece atenção ou exige algum tipo de resposta, e ignorar o que não é relevante no momento, enfim, habilidade para organizar e interpretar os estímulos para agir de acordo com a situação.

 

Como surgiu?


1º o termo Integração sensorial vem da neurobiologia e se refere a integração em nível celular (Miller, 2006).

Jean Ayres, terapeuta ocupacional, norte americana, buscou, na década de 60, na neurobiologia elementos  para criar um modelo de intervenção para crianças com problemas de aprendizagem.

Segundo Ayres (1972), o termo Integração Sensorial se refere ao processo neurológico que organiza as sensações do próprio corpo e do ambiente, permitindo a organização do comportamento e o uso eficiente do corpo nas ações e atividades que fazemos rotineiramente.

 

Logo, Integração Sensorial é um processo natural, biológico, que nos permite focar a atenção e responder continuamente às demandas do ambiente. Nesse sentido, todas as nossas ações, não só em termos de movimentos corporais, mas também em processo de aprendizagem e formação de conceitos, são dependentes da capacidade para interpretar informações sensoriais. Informações, estas, provenientes do meio e de nossos movimentos e ações sobre materiais e objetos. (Ayres,1972)

 

Os sistemas sensoriais

Todos os sistemas sensoriais são reconhecidos como importantes para o desenvolvimento infantil para Ayres. Porém, seu trabalho foi mais direcionado para examinar a contribuição das sensações táteis, vestibulares e proprioceptivas para a aprendizagem escolar.

 

Por quais razões??

 

1. Em 1º lugar porque esses são sistemas que processam informação do corpo, ou receptores proximais, que contrastam com os sistemas sensoriais distais (visão, audição, olfato e gustação), que processam informações do ambiente.

 

2. Na dec. de 60, já tinham outros pesquisadores relacionando os déficits de percepção visual com distúrbios de aprendizagem, logo se dedicou aos receptores proximais;

 

3. Em 1950, frustrada com os resultados com as intervenções motoras com crianças com Paralisia Cerebral, questionou se os déficits delas seriam puramente motores (Blanche, 2011).

 

Decidiu, então, estudar as crianças que tinham dificuldade de aprendizagem na escola e problemas de coordenação motora. Sendo o fator decisivo da mudança, o financiamento para pesquisar.

 

4. Com a hipótese que as dificuldades motoras apresentadas por crianças com distúrbio de aprendizagem não tinham base puramente motora e sim sensorial, Ayres criou a teoria da Integração Sensorial.

 

O foco foi no Distúrbio de aprendizado, mas outros autores, expandiram as ideias da Integração Sensorial para o tratamento de uma variedade de transtornos, incluindo a paralisia cerebral, autismo infantil, Síndrome de Down e outras síndromes genéticas.

 

Texto escrito baseado em artigos de Lygia Godoy e Lívia Magalhães.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que é defensividade tátil?

Transtorno de modulação sensorial

Disgrafia