Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2010

Cuidar do idoso: desafio possível

Imagem
Farah Rejenne Corrêa Mendes
pesquisadora mentora do Portal do Envelhecimento.
http://www.portaldoenvelhecimento.org.br/pforum/cid7.htm




Cuidar do idoso recentemente deixou de ser uma responsabilidade individual e privada, tornando-se um movimento público. Com o avanço do envelhecimento populacional, cria-se uma nova realidade demográfica que exige novas ações, posturas e respostas. O objetivo deixa de ser apenas prolongar a vida, mas, principalmente manter a independência, autonomia e bem-estar de cada sujeito o maior tempo possível. Tornam-se necessários conhecimentos específicos, responsabilidade e firmamento de valores como justiça e igualdade na construção e atuação da nova realidade social.



Presente em todas as etapas da vida de forma direta ou indireta, o cuidar pode trazer na relação estabelecida diversos sentimentos desde o amor, a cumplicidade, o respeito, a troca até a piedade e a obrigação.



Na relação do cuidar estabelecida com a pessoa idosa, seja pelo familiar, leigo ou profis…

A casa de minha mãe nunca ficou pronta

Imagem
Arnaldo Jabor

Ando com vontade de ligar para minha mãe. Mas, minha mãe já morreu. Meu filhinho me perguntou hoje: “Cadê sua mãe, aquela que mandou seu mico embora porque ele mordeu seu dedo?” “Ela já foi para o céu...”- respondi-lhe com o velho lugar comum. “E seu papai aquele que andava no aviãozinho que ia até a Lua?” “Também foi para o céu...”, repito pensando que um dia ele vai descobrir que vamos para baixo e não para cima. Mas, tenho mesmo vontade de ligar, pois, talvez, no telefone, possa haver um milagre e sua voz soar em meu ouvido: “Alô? 28-4858?” “Mamãe?”

Na época desse número remoto do Méier, sua voz era jovem e feliz. Depois, foi enfraquecendo por outros números, até o tempo em que, já velhinha, atendia triste e doente o 47-8378: “E aí, meu filho, tudo bem?...” Como seria bom o telefone me salvar e alguém me chamar de “meu filho...”

Seria bom entrar pelos fios do passado e fugir das dores que sinto com o País, o mundo e comigo mesmo. Confesso que, em momentos de desespero, e…