Associação entre idade, sexo, doenças sistêmicas, medicamentos e as taxas de fluxo salivar total e labial em pacientes idosos.

São Paulo, 24 de Junho de 2010
Pesquisadores dinamarqueses publicaram, recentemente, no Community Dentistry and Oral Epidemiology, um estudo em que investigaram a associação entre idade, sexo, doenças sistêmicas, medicamentos e as taxas de fluxo salivar total e labial em pacientes idosos.

As taxas de fluxo salivar labial não estimulado (LNE), total não estimulado (TNE) e total estimulado pela mastigação (TEM) foram determinadas em 389 mulheres dinamarquesas comunitárias e em 279 homens dinamarqueses com idades entre 65 e 97 anos. Doenças sistêmicas, medicamentos (classificados de acordo com o Sistema de Classificação Anatômica, Terapêutica e Química (ATC), tabagismo e consumo de álcool foram registrados.
O número de doenças e medicamentos foi maior e TNE foi menor nos grupos etários mais idosos. Em média, mulheres eram discretamente mais idosas, possuíam mais doenças, maior uso de medicamentos e menores TNE, TEM e LNE que pacientes masculinos. Entre participantes saudáveis (14%) e não medicados (19%), as taxas de fluxos não se associaram à idade e sexo, apesar de TEM ser menor em mulheres não medicadas. Baixos TNE associaram-se a transtornos psiquiátricos e respiratórios, diabetes tipo 2 e ingesta de psicolépticos, psicoanalépticos (principalmente inibidores da recaptação da serotonina), medicamentos respiratórios, antidiabéticos orais (principalmente sulfoniuréias), hidróxido de magnésio, medicamentos cardíacos, quinina, tiazídicos, bloqueadores de canal de cálcio, estatinas, antiespasmódicos urinários, glucosamina, anti-inflamatórios não hormonais, opiáceos e medicamentos oftalmológicos. TEM foram menores entre participantes portadores de alterações oftalmológicas em uso de medicamentos oftalmológicos (principalmente agentes anti-glaucoma e mióticos) e também entre pacientes em uso de antidepressivos, medicamentos cardíacos (principalmente digitálicos) e bloqueadores de canal de cálcio. Doenças cardiovasculares e uso de antitrombóticos (principalmente aspirina em baixas doses), bloqueadores de canal de cálcio e antidiabéticos orais se associaram a baixo LNE.

Os pesquisadores concluíram que, em idosos, baixas taxas de fluxo salivar se associam a um número específico e grande de doenças e medicamentos, porém não se associaram à idade ou sexo, tampouco com tabagismo ou consumo de álcool. Baixo fluxo salivar total não estimulado associou-se a mais doenças e medicamentos que o fluxo salivar total estimulado pela mastigação e o fluxo salivar labial, que se associaram primariamente a doenças cardiovasculares e medicamentos, incluindo agentes preventivos, como aspirina em baixas doses e estatinas. Novas visões sobre medicamentos e suas associações com a função das glândulas salivares foram obtidas utilizando o sistema de classificação da ATC.


Uma resenha de Associations between labial and whole salivary flow rates, systemic diseases and medications in a sample of older people - Community Dentistry and Oral Epidemiology; 2010 Jun 2 [Epub ahead of print]

Caso deseje receber o trabalho na íntegra, por favor contacte nosso serviço de Informações Médicas pelo nosso site ou através do 0800 7030015.

As resenhas são baseadas em artigos de periódicos nacionais e internacionais que contenham informações médicas com aplicabilidade prática.

Copyright ® 2008: São Paulo Medical Conferences - Todos os direitos reservados sobre a resenha em português.
"O conteúdo desta página é de responsabilidade da São Paulo Medical."

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que é defensividade tátil?

Transtorno de modulação sensorial

Disgrafia