Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2010

Perda de memória no idoso

Perda de memória no idoso
Ivan H Okamoto e Paulo HF BertolucciA queixa de dificuldade de memória é uma das mais freqüentes em pessoas idosas, o que não significa, entretanto, sinônimo de perda significativa da mesma. Um estudo realizado na área metropolitana de São Paulo mostrou que 54% das pessoas com mais de 65 anos se queixavam de dificuldade de memória, porém apenas 12% admitiram que essa complicação as prejudicava no dia-a-dia.1 Isto indica que, embora a reclamação seja freqüente, não tem necessariamente maior implicação clínica. Pessoas idosas lamentam esquecer fatos ocorridos uma semana antes, mas podem se lembrar de episódios ocorridos em suas infâncias, o que pode ser explicado pela carga emocional diferente em cada acontecimento: possivelmente a pessoa se lembrará com mais facilidade de fatos com forte apelo emocional. Uma outra queixa se refere à repetição da mesma história para a mesma pessoa em diferentes ocasiões, o que pode ser justificado pelo comprometimento da memória…

O que atrapalha são as doenças

Imagem
Pensando em prevenção e importância de programas de promação da saúde dos idosos fui pesquisar alguns artigos e achei esse muito interessante que correlaciona as doenças x AVD e AIVD.
Vale conferir!
Boa leitura.
Farah Mendes

Artigo publicado no site da FAPESP: http://www.agencia.fapesp.br/materia/8769/especiais/o-que-atrapalha-sao-as-doencas.htm

O que atrapalha são as doenças
Por Alex Sander Alcântara

Agência FAPESP – A idade é um dos principais fatores associados às dificuldades para execução das chamadas atividades instrumentais da vida diária (AIVD). Mas, segundo uma pesquisa feita na Universidade de São Paulo (USP) entre pessoas acima de 60 anos, o fator mais importante é a presença de duas ou mais doenças, o que aumenta em cinco vezes o risco de dificuldades cotidianas.

O estudo foi realizado com 2.143 entrevistados maiores de 60 anos, no ano de 2000. Além da idade, foram investigadas variáveis independentes como gênero, renda, escolaridade, etnia, doenças, atividade física e consumo …

A comunicação e o idoso

Imagem
Fga. Érica Celestino Cordeiro- fonoaudiologa da CUIDARE e coloboradora do blog.

Existem algumas atribuições do homem que são fundamentais para que a existência das interações sociais seja bem sucedida. Para isto, envolve o poder de falar, o poder de amar e o poder de pensar.

A comunicação, além de satisfazer uma necessidade básica do ser humano, isto é, o saber, é um dos meios mais importantes de seu comportamento social, pois nossas vidas cotidianas são afetadas diretamente pelas nossas comunicações com os outros.

A fala é um privilégio concedido pela natureza somente a espécie humana e é por seu intermédio que o homem pode estabelecer contatos com seus semelhantes, compartilhando experiências, pensamentos, idéias e conhecimentos. Por ser algo comum no nosso dia-a-dia, esse processo nos parece muito simples, contudo, para que o mecanismo da fala ocorra corretamente, é preciso ter um ambiente familiar e social favorável, além de muitas estruturas do corpo humano funcionar com perfeição.

O ambiente da velhice no país: por que planejar?* - Artigo na revista Kairós

Visitem o site da revista Kairós Gerontologia, leiam o artigo abaixo sobre o ambiente domiciliar dos idosos, fruto da pesquisa de mestrado, e aproveitem para ler os demais artigos. Abraços virtuais, Farah Mendes http://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/issue/view/215/showToc
O ambiente da velhice no país: por que planejar?*
Farah Rejenne Corrêa Mendes
Beltrina Côrte
revista Kairós, São Paulo, 12(1), jan. 2009, pp. 197-212
RESUMO: O processo do envelhecimento é, hoje, objeto de várias pesquisas no mundo. No Brasil, tem deixado de ser apenas uma preocupação da saúde e socioeconômica, tornando-se uma preocupação de várias áreas da ciência pelas necessidades e exigências do mundo que envelhece, considerando-se o meio em que vivem, seja o espaço público ou seu domicílio. Pesquisas demonstram que o ambiente domiciliar agrega valores econômicos, sociais, emocionais, afetivos e de saúde ao longo da vida, e exerce influência na vida dos idosos, no seu bem-estar.
A casa representa o maior bem conqui…